Análise – The Great Gatsby

Hoje eu decidi invadir o Blog da Ellen e escrever minha análise do filme “The Great Gatsby” em primeiríssima mão. Ontem eu consegui acesso na pré-estreia do filme aqui no Canadá, para a Mídia especializada e, eu estou encantando até agora.

TGG_logo

Você é fan dos filmes dirigidos por Baz Luhrmann? Talvez “Romeo and Juliet”, ou mesmo “Moulin Rouge”? Você é fan de filmes românticos, mas com uma pitada de adrenalina e extase? Você é fan de filme de época, roupas extravagantes, pessoas extravagantes, festas EXTRAVAGANTES? Se sim, provavelmente “The Great Gatsby” vai ser também o filme ideal pra você.

Para resumir, aqui vai uma pequena sinopse do filme, antes que eu descreva todas as minhas impressões do mesmo:

“Anos 20. Nick Carraway (Tobey Maguire) se mudou há pouco tempo para Long Island. Lá ele conhece e fica fascinado com o estilo de vida de Jay Gatsby (Leonardo DiCaprio), seu novo vizinho, que é milionário. Aos poucos Carraway passa a frequentar o círculo de Gatsby e percebe a paixão que Gatsby nutre por Daisy Buchanan (Carey Mulligan), casada com o tambem milionário Tom (Joel Edgerton).”

Eu poderia passar horas e horas tentando descrever o meu sentimento pelo filme. Tentando explicar cada cena e o misto de impressões que eu tive. Mas no fundo eu sei que não vai ser o suficiente, até porque cada pessoa reage diferente com cada sentimento. Mas quando você é uma pessoa que, assim como eu, considera Moulin Rouge como um dos grandes filmes, The Great Gatsby acaba fazendo parte dessa lista também. E o porque disso é exatamente pelo fato de que eu vi/senti diversas comparações de Moulin Rouge presentes no filme.

TGG_02

Todo aquele universo “mágico e frio” está presente aqui. O mesmo estilo de shots de câmera, narração, layers com efeitos especiais, zoom ins e zoom outs, dramas, festas, ciúmes – MUITO ciúmes! – e músicas. Ah, as músicas são tão poderosas que conseguem fazer o espectador sentir cada sentimento de cada personagem. Músicas que vão de Florence + the Machine, até The XX, Gotye, Beyonce, Jay-Z, Lana del Ray etc.

Posso ir ainda mais além na comparação? O filme começa e termina da mesma forma que Moulin Rouge. Sem spoilers, ok! Nao quero tirar de você o mistério do filme. Mas se você assistir os dois filmes você vai me entender. É engraçado como até mesmo a famosa “Green Fairy” de Moulin Rouge também está ali em The Great Gatsby, mas dessa vez como a “Green Light” que Gatsby tanto quer alcançar.

Você, como espectador, é presenteado com esse universo rico em detalhes que vão desde cada canto das grandes mansões, até cada estilo de roupas e músicas daquela época. Pode anotar aí: você com certeza vai sentir um friozinho na barriga quando a personagem Daisy for apresentada pela primeira vez, enquanto suas mãos dançam entre as cortinas daquele quarto. Ou uma grande explosão de ansiedade quando ela finalmente reencontra Gatsby, enquanto ela está cercada em uma coroa de flores brancas e ele molhado de chuva.

Daisy e Gatsby são personagens que tinham tudo pra ser o clichê romântico que todos nós conhecemos, mas acabam se revelando tão fantásticos e incomuns – para o “final feliz” de sempre – que acabam me dando ainda mais razões para amá-los. Amá-los no ódio e amá-los na admiração. No ódio, pela simples loucura que o amor causa nos dois. Talvez Daisy seja a mulher mais tola de todas, a mais confusa e cega. Enquanto Gatsby é o ser mais apaixonado, sonhador, mas infelizmente, também cego.

TGG_01

Gatsby parece uma personagem tão forte e decidida, mas que durante o filme começa a perder o controle, se revelando alguém inseguro por trás de todo aquele charme e riqueza. E Leonardo DiCaprio consegue expressar cada uma dessas personalidades durante o filme. (Dêem logo um Oscar pra ele, pelo amor de Deus!). É impressionante ver até onde o ciúmes pode levar alguém.

Novamente, fica difícil falar sobre sentimentos, quando não sabemos como cada pessoa vai se sentir durante o filme, ou como cada pessoa reage em cada situação. Mas o que The Great Gatsby têm de tão especial é que o filme sabe conduzir essa confusão sentimental de forma coerente e nos momentos certos. Por exemplo, em uma determinada sequência do filme – que de modo geral era uma sequência feliz – eu me senti emocionado pela felicidade das personagens, que foi se acumulando, crescendo e se expandindo dentro de mim de uma forma tão forte, que em determinado momento eu não conseguia mais me conter. Essa sequência que era para ser feliz, se tornou tão incômoda e tão forte que me deu vontade de chorar. Nesse momento eu comecei a me questionar durante o filme: “Por quê eu estou chorando? Todos estão felizes e tudo é tão mágico. Então porque estou me sentindo assim?” E, por incrível que pareça, de repente Daisy também começa a chorar no filme, o que me fez finalmente entender que o que me angustiava naquele momento – e também angustiava a personagem – é que tudo aquilo era tão forte e único, que nos sentimos inseguros e fracos, só de imaginar que toda aquela felicidade poderia se acabar. Tudo fazia sentido
pra mim agora.

O amor é um assunto muito delicado e forte, mas ao mesmo tempo muito perigoso. Não é porque você ama de uma maneira diferente, que isso signifique que você deva ser condenado por isso. Mas, lá dentro, bem lá no fundo, eu gostaria de condenar Daisy eternamente por cada uma de suas escolhas…

“The Great Gatsby” estréia em 7 de Junho no Brasil. Assistam! 🙂

– Matheus Pitillo

Anúncios

3 opiniões sobre “Análise – The Great Gatsby

  1. Noss, que resenha completa! Adorei conhecer mais sobre este filme que quero muito ver! Mal posso esperar! O figurino está fantástico. E é interessante essa mescla de trilha sonora contemporânea com uma história de época, embora já não seja mais novidade. Essa época (anos 1920) é uma das minhas preferidas na história ❤
    Vou chamar a Helenta pra ver comigo, mas aposto que ela vai estar sendo vacinada num show no dia 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s