Quando o coração bate mais forte

Tinha gente que não se encontrava há 6 anos, desde o casamento do Miguel (parabéns casal lindo). Alguns trocavam emails ou mantinham contato por telefone. Mas quando a gente se dava conta o ano tinha passado novamente e não havíamos conseguido nos encontrar.

Foi quando no final do ano, o Carlos nos convidou para ir a chácara e só eu apareci. Então tivemos a ideia de remarcar a data e nos esforçar realmente para ir. Seria na casa nova do Théo, em Brasília, em fevereiro.

Na semana anterior a data, eu mal conseguia dormir. Não porquê estava com medo de não saber o que falar, faltar assunto ou parecer infantil demais (o normal é voltarmos a ter 14 anos nessas ocasiões), mas porque eu estava com saudade, muitas saudades.

E o dia, como era de esperar, foi maravilhoso (e rápido). Tava vendo a hora de eu ligar pro nego e falar para ele fazer as malas, pegar um avião e nos mudarmos ali pro quarto de hóspedes (que aliás, é show, assim como a casa toda).

O Carlos nos recebeu com um almoço delicioso (costela ao molho barbecue, batatas assadas, arroz, saladinha) de causar inveja na Ana Maria Braga. De sobremesa, sorvetes com chocolate puro derretido por cima, bombons e dadinho. E lanche, biscoito de queijo, azeitona, queijos, palmito, tomate cereja. Hummmmm.

Lembramos do tempo em que tudo era descomplicado e divertido. Lembramos das nossas brincadeiras de amarrar o canudo do ovo maltine do Zé, amarrar o tênis da Lorena na cadeira da frente, do jornal picado no gorro do Miguel, do trabalho de Parnasianismo, as tardes de playstation, futebol, cinema, os tombos de quem se mete a fazer Le Parkour e vão parar no Darwin Awards.

Em meio a muitas risadas e a certeza que a orelha do Coró quase caiu de tão vermelha, brincamos com a bebê mais fofa deste mundo (parabéns papais da Emily) e vimos as fotos da primeira sobrinha da turma, a coisa mais linda que eu já vi (a Sophia é um charme).

Na hora do abraço de até breve, a certeza de que meu coração está um pouco ali e que nunca vai parar de bater, se sentir protegido e aconchegado perto dos meus melhores amigos para sempre.

Imagem


ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

ImagemObrigada Carlos e Verônica.Imagem

Anúncios

Uma opinião sobre “Quando o coração bate mais forte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s