Meu amor por mim mesma

Por amar todo mundo, talvez eu nem saiba o que é o amor.

Eu sei o que é respeito, admiração, companheirismo. Mas o que é amor?

Será a soma de tudo isso? Será a subtração das dores do homem? Será o único motivo que justifique toda a nossa existência?

Vivemos por amor ou vivemos para amar?

Amo quando ele me faz rir.

Amo quando escuto a sua voz.

Amo os erros e acertos, mesmo que os erros sejam numericamente maiores.

Amo seus cabelos, seus olhos, suas mãos. Amo até o punho quebrado.

Mas eu posso dizer que sei o que é amor?

Já amei alguma vez na vida ou amei estar me sentindo amada?

O amor não passa de uma ilusão, de um roteiro que inventamos na nossa cabeça e nos dispomos a acreditar?

Amo a confiança, a segurança, a tolerância. Mas ao mesmo tempo, não deixo de sentir amor por essa incerteza dolorida do dia de amanhã.

Eu te amo, mas confesso, talvez seja só coisa da minha cabeça (e do coração).

Anúncios

Uma opinião sobre “Meu amor por mim mesma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s